As belezas da Ave Maria

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Fonte: Livro: O Bom Combate na Alma Generosa


Amados filhos, filhos prediletos, que todos os dias repetis com amor esta encantadora saudação à Virgem Maria, minha celeste Mãe “Ave Maria”.

Eu sou Jesus, o disse Jesus filho desta Mãe amável, da qual vou falar-vos, explicando-vos a Ave Maria.

Desejo-vos explicar a Ave Maria, porque muitos saúdam Minha Santíssima Mãe rotineiramente, sem saberem o que estão dizendo. Desejando que aproveiteis desta belíssima oração, eis o motivo por que desejo hoje explicar-vos quão bela é esta oração composta pelo Pai.

Amados de Meu Coração, o mundo jazia nas trevas do paganismo, o demônio com seus sequazes estavam tomando posse dos corações que foram criados por nós, por isso tor­nou-se necessário que o Verbo Se fizesse carne no seio de uma puríssima Virgem.


Chegando esta hora bendita, como sabeis, foi enviado o anjo a Maria, que, por nossa ordem, saúda esta flor escon­dida na Sua ramagem de virtudes, as mais elevadas.

Ao anjo lhe foi dito: saúda nossa Pomba, nossa Amada: Ave Gratia Plena!

Oh! palavras sublimes, que, compostas por nós, encer­ram tanta grandeza e sublimidade, para saudarmos Aquela que ia ser mais tarde a derrota do inimigo infernal.

Ave, Maria, Gratia Plena. Eu Vos saúdo, ó Maria, porque foste A escolhida para seres o vaso puríssimo, onde vai repousar o Verbo! De graças estais repleta! Eis porque o nosso Deus a ti me enviou para anunciar-te que foste a escolhida para seres a Mãe do Messias prometido. O anjo assim falou, e Maria turbou-Se na Sua grande humildade, porém, sempre obediente às inspirações do céu, pronun­ciou o Fiat. E o anjo lhe anunciou: Bendita serás entre todas as mulheres, porque bendito e sagrado será o Fruto de Vossas puríssimas entranhas!


Amados filhos, quantas vezes não repetis estas tão belas e sublimes palavras compostas por nós, sem saberdes o que estais dizendo! Ah! se os vossos olhos se abrissem e pudes­sem ver como os anjos saúdam a Maria no céu?! Reverentes e em transportes de santa alegria, saúdam a nossa amada: Ave, Maria! Nós vos saudamos, ó Maria, Mãe amável, Mãe puríssima, amabilíssima. Nós vos saudamos com amor e aqui aos Vossos santíssimos pés, nos achamos reverentes para cumprirmos vossas ordens de Mãe amável. Eis amados filhos, que o Coração de Maria se abre e diz a Seus anjos: Vede anjos puríssimos, Meu Coração que vos diz, amo os homens. Amados filhos, Maria quando recebe de Seus anjos veneração e homenagem, imediatamente olhando para vós que ainda estais neste exílio, diz: Ah! se todos os meus filhos do exílio Me louvassem com a Ave Maria, nenhum deles se perderia! Sim, porque quem saúda a Minha Mãe com a Ave Maria predispõe o seu coração para receber as enchentes de Minhas graças.

Filhos amados, saudai a Maria com amor, como os anjos a saúdam. Lembro-vos que Ela é vossa Mãe, Mãe solicita e cari­nhosa sempre pronta em vos socorrer. “Gratia Plena”.

Amados filhos, Maria vossa Mãe, é cheia de graça. Eis como o anjo a saudou: “Ave, Gratia Plena”.

Agora vos pergunto, quando a saudais, refletis no que estais dizendo? Ah! quantos dos que me ouvis, a saudais pensando em vós, nos vossos filhos, vossos amigos, enfim em tudo, menos em Maria. Esta saudação pode ser agradável a Maria? Ah! não. Como um filho pode contentar a sua Mãe, quando lhe fala, não como filho agradecido, mas, sim, como um estrangeiro que jamais a viu? Que dor para esta mãe que ama seu filho, ver que não é reconhecida como tal!

Amados filhos, se rezardes sem atenção, sois filhos ingratos, dais a Maria, que é vossa Mãe, uma espada para seu Coração tão delicado e que tanto deseja ver-vos atentos, para poderdes aproveitar de Seus divinos favores.

Maria é cheia de graça, porque foi escolhida para ser Minha Mãe, portanto tem nas Suas mãos os tesouros do Paraíso, dos quais pode dispôr em vosso beneficio. No entanto, quando dizeis Ave, Maria, cheia de graça, porque recebeis tão pouco? É porque rezais mal, sem atenção, maquinalmente! Passais as contas de vosso rosário e quando chegastes ao fim, tudo perdido! Ah! mais vos valeria que rezásseis só uma Ave Maria bem rezada do que um rosário inteiro sem nenhum fruto. Não é a quantidade que agrada a Maria, mas, sim, a qualidade.

Luiz de Gonzaga quando rezava esta saudação encan­tadora, nunca chegava ao fim, porque se mergulhava na contemplação destas admiráveis palavras que encerram tanta sublimidade!

“Ave, Maria, Gratia Plena”. Maria, Eu Vos saúdo porque o Céu Vos cumulou de graças. És o vaso de eleição do Se­nhor! E em transportes de amor, ficava ele dias e dias contemplando as maravilhas operadas por nós neste vaso de eleição destinado, como Mãe carinhosa, a beneficiar os homens.

Amados filhos, é assim que vós fazeis?...

Ah! que dor para Maria ver-vos tão distraídos na oração, pensando em tudo, menos no que estais dizendo. Se assim fazeis, podereis chegar a aproveitar de seus cari­nhos de Mãe? Só um milagre será capaz de tirar-vos desta rotina que tanto mal faz ás almas, privando-as das doçuras e dos carinhos, com que tanto deseja beneficiar-vos.

Oh! filhos meus, se souberdes saudar a Maria, garan­tida está a vossa salvação. Jamais se ouviu dizer que um Seu devoto se perdesse. Ah! não, jamais vi descer um devoto de Maria ao inferno.

Maria, Minha armadíssima Mãe, repleta de caridade, pois em Seu seio Eu Me achava, foi visitar Sua prima Isabel e esta sem saber por criatura o que em Maria se tinha ope­rado, ao recebê-la, por inspiração divina, A saúda, dizen­do-lhe: quem sou eu para que a Mãe do meu Senhor venha me visitar?! Oh! Maria, bendita és entre todas as mulheres, porque bendito é o fruto de Vossas puríssimas entranhas. Amados filhos, quem revelou estas coisas a Isabel? Não a carne, mas, sim, o céu, e eis que, sem ela saber, disse a Maria o que o anjo lhe tinha dito: “Bendita és tu entre as mulheres, ó Maria.”

Amados filhos, bem podeis avaliar quanto esta oração, ou melhor, esta saudação é agradável ao Coração de Maria e ao Meu. Ave Maria, eu Vos saúdo, ó Maria, cheia de graça! Sim, és um vaso cheio de perfume inebriante. O Senhor é conVosco. Sim, ó Maria, a Trindade augustíssima Vos escolheu para seres a portadora de Seus divinos favores. Bendita sois entre todas as mulheres. Sim, ó Maria, entre todas fostes a escolhida para seres a Mãe de Deus. Portanto, bendita sois, e serás sempre proclamada por todos os anjos e santos bendita! Bendito é o fruto de Vossas entranhas. Só Vós, Maria, tens esta honra de haver sido a escolhida para sacrário, onde o Verbo Se fez carne para habitar no meio dos homens!

Amados filhos, eis como deveis rezar a saudação angé­lica. Poderia chamá-la saudação divina, porque toda ela foi ditada pelo nosso amor.

Oh! filhos que me ouvis, se pudésseis compreender o valor desta saudação bem rezada, como serieis felizes! Aproveitai, não desperdiceis vosso tempo em rezar mal e as pressas. Prestai atenção com quem estais falando e o que estais falando. Se assim fizerdes, na hora da vossa morte estareis repletos de graças para poderdes entrar na vossa pátria, que é o Paraíso.

Quando saudais a Maria com a Ave Maria acrescentais, Santa Maria Mãe de Deus rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte. Amém.

Esta bela súplica foi composta por um fiel servo de Maria, quando o demônio se levantou, querendo roubar-Lhe o mais belo título, que possui — “Mãe de Deus”. Sim, o Meu servo divinamente inspirado pelo céu, em entusiasmo próprio dis verdadeiros servos de Maria, prorrompe em nós três preces: Santa Maria Mãe de Deus rogai por nós pecadores agora e na hora de nossa morte. Amados, vede que Ave Maria e Santa Maria não são invenções humanas, mas, sim, divinas, porque estas foram ditadas pelo céu para que assim possais conversar com Maria, pe­dindo-Lhe tudo de que estais precisando. Na verdade, Ela tudo pode, porque tem nas Suas mãos os tesouros de Meu Coração. Ela é a dispensadora de Meus divinos favores. Se alguém prontamente os desejar receber, peça-Me por Maria, porque é por meio dela que dou em abundância meus tesouros. Foi por meio de Maria que desci ao mundo e assim vos abri as portas do Paraíso. É por Maria que dou às almas de boa vontade o que Me pedem. Vinde, portanto, a Maria porque Ela vos conduzirá a Mim.

Amados filhos, exorto-vos a bem rezar a oração ange­lical. Vinde a Maria, com confiança e amor, por meio desta belíssima oração composta pelo nosso amor, para saudar a nossa amada, a nossa Pomba.

Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Repeti, filhos Meus, esta bela súplica e na hora da morte vereis Maria a vos dizer: Aqui estou, filho Meu, para te assistir nos últimos momentos. Sim, tu, que tanto chamaste por Mim na vida, aqui estou para te ajudar na morte. Vem nos meus braços, vem des­cansar para sempre. Oh! filhos Meus, a vossa morte será nos braços de Maria. Sim, se com Ela souberdes viver na vida, na morte encontrareis Maria.

Rezai, filhos Meus, rezai com amor e alegria, rezai com confiança filial a oração angélica e tereis tudo, que sou Eu mesmo.

Sim, tereis o Meu amor nos vossos corações.
Jesus, o vosso tudo, que eternamente vos abençoará, se souberdes, saudar a Maria.
Compartilhe este artigo :

0 comentários:

Deixe seu comentário

Diga-nos o que voce está pensando... !

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2011. Vas Honorabile - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Inspired by Sportapolis Shape5.com
Proudly powered by Blogger