Pequeno Catecismo sobre o Santo Rosário

segunda-feira, 22 de julho de 2013

A Oração do Rosário e do Terço


Qual é origem do Rosário?

“Desde que o Rosário foi composto, em princípio e substância, pela Oração de Cristo (Pai-Nosso) e a Saudação Angélica (Ave-Maria), sem dúvida, constituiu a primeira devoção dos fiéis e tem sido usado pelos séculos, desde o tempo dos apóstolos.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 2º rosa)


Como surgiu o uso de contas?

Já no século início do século IV, São Pacómio, que tinha dificuldades para ler e recitar o Breviário (Os Salmos e outras orações) usava pedrinhas para contar até 150 Saudações Angélicas.


Como se estabeleceu o uso atual?

“Foi somente no ano de 1214, que a Santa Madre Igreja recebeu o Rosário na sua forma presente e de acordo com o método que usamos hoje. Ele foi dado à Igreja por São Domingos que o recebeu da Bem-Aventurada Virgem como um meio poderoso para converter os albigenses e outros pecadores.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 2º rosa)



Em que consiste a oração do Rosário?

“O Rosário constitui-se de duas realidades: a oração mental e a oração vocal. No Rosário, a oração mental é nada mais que uma meditação sobre os principais mistérios da vida, morte e glória de JESUS CRISTO e de Sua Santíssima Mãe.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 1º rosa)


Em que consiste a oração vocal do Rosário?

“A Oração vocal consiste em se rezar quinze dezenas de Ave-Marias, cada dezena precedida de um Pai-Nosso.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 1º rosa)


Em que consiste a oração mental do Rosário?

Consiste em rezar a oração vocal, “enquanto que ao mesmo tempo medita-se e contempla-se as quinze virtudes principais que JESUS e Maria praticaram, nos quinze mistérios do Santo Rosário.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 1º rosa)


O que é o Terço?

Chamamos Terço, cada grupo de cinco dezenas em que se contemplam cinco mistérios.


O que se medita em cada Terço?

“Nas cinco primeiras dezenas nós devemos honrar a Jesus e Maria nos cinco Mistérios Gozosos e meditá-los; nas segundas cinco dezenas os Mistérios Dolorosos e no terceiro grupo de cinco, os Mistérios Gloriosos.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 1º rosa)


Pode-se rezar somente um Terço diariamente, ao invés do Rosário completo?

Sim. Em 13 de Maio de 1917, Nossa Senhora assim pediu em Fátima: “Rezai o terço todos os dias.”


Há um método específico para tanto?

Sim. Para que durante a semana rezemos o Rosário completo, a Igreja estabeleceu o costume de rezar um grupo de mistérios em particular, conforme o dia da semana. Assim, segundas-feiras e quintas-feiras rezam-se os Mistérios Gozosos. Terças-feiras e sextas-feiras contemplam-se os Mistérios Dolorosos. Quartas-feiras, sábado e Domingo meditam-se os Mistérios Gloriosos.


Quais são os defeitos mais comuns ao se rezar o Rosário em particular?

“O primeiro é o perigo de não pedir qualquer graça. (...) De modo que, sempre que se reze o Rosário, tenha certeza de pedir alguma graça especial. Peça o auxílio de Deus em fomentar uma das maiores virtudes cristãs ou que Ele o auxilie a combater os seus pecados.” O segundo grande defeito que muitas pessoas fazem ao rezarem o Rosário é somente querer chegar ao final. (...) é realmente lamentável ver como a maioria das pessoas rezam o Santo Rosário. Elas o rezam extremamente rápido e murmurando, fazendo com que as palavras não sejam pronunciadas claramente.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 44º quarta rosa)


Há uma forma mais querida por Deus para se rezar o Terço, ou o Rosário?

“Há várias formas de rezar o Santo Rosário, mas a que dá a maior glória a Deus Todo-Poderoso, que faz o melhor por nossas almas e que o diabo mais teme que tudo mais, é a de rezar ou cantar o Rosário publicamente em dois grupos. “Deus Todo-Poderoso Se compraz quando as pessoas se reúnem em oração; os Anjos e os bem-aventurados unem-se para louvá-Lo incessantemente. Os justos na Terra em várias comunidades se juntam em oração comunitária de dia e de noite. Nosso Senhor Jesus Cristo recomenda expressamente a oração em grupos aos Seus apóstolos e discípulos e prometeu que sempre que dois ou três estiverem reunidos em Seu Nome, Ele estará no meio deles (Mt XVIII,20). “Como é maravilhoso ter Jesus Cristo no nosso meio! E a única coisa que temos que fazer para tê-lo no nosso meio é rezar o Rosário em grupo. Eis porquê os primeiros cristãos geralmente se reuniam para ora, apesar das perseguições do Império Romano e do fato de que as reuniões fossem proibidas. Eles preferiam se reunir mesmo com o risco da morte, do que perder os encontros, nos quais Jesus estava presente.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 46º rosa)


Que frutos podem-se esperar da oração em comum?

Vários, os principais são:

“1 – Normalmente nossas mentes ficam mais atentas quando em oração pública do que quando oramos em particular;

“2 – Quando oramos em grupo, a oração de cada um pertence a todos nós e estas se ajuntam em uma oração ainda maior, a fim de que se alguém não está orando bem, outra pessoa na mesma reunião que ora melhor estará compensando pela deficiência do outro. Desta forma, aqueles que são fortes seguram os fracos, os fervorosos inspiram os mornos, os ricos enriquecem os pobres, os ruins são contados juntamente com os bons. Como se pode vender o joio? Misturando-o facilmente com quatro ou cinco barris de trigo da melhor qualidade.

“3 – Quem reza o Rosário sozinho só ganha o mérito de um Rosário, mas se ele o reza junto com outras trinta pessoas, obtém-se o mérito de trinta Rosários. Esta é a lei da oração pública. Quão frutuosa, e quão vantajosa ela é.”

“4 – Urbano VIII (...) concedeu cem dias a mais de indulgência, totis quotis, sempre que o Rosário fosse rezado em dois coros. (...)”

“5 – A oração pública é muito mais poderosa que a oração individual para apaziguar a ira de Deus e obter a Sua Misericórdia.”

“6 - finalmente, quando as pessoas rezam o Rosário juntas é muito mais terrível ao demônio que em particular, pois na oração pública trata-se de um exército que o ataca.” (São Luiz de Montfort, O Segredo do Rosário, 46º rosa)


Quais são os defeitos mais comuns ao se rezar o Rosário em grupo?

A falta de “espírito de disciplina, sem o qual” o grupo reunido para rezar o Rosário “é como uma cabeça lúcida num corpo paralisado, incapaz de refrear os excessos dos membros, de estimulá-los e de formá-los. Sem disciplina os membros se deixarão arrastar pela tendência muito humana de trabalharem isolados, com o mínimo possível de controle” tentando impor métodos próprios de oração aos demais; “de se entregarem a obras ditadas pelo capricho do momento e de as fazerem como lhes aprouver. Que se poderá esperar de tal procedimento?” (Página 249 da versão de 1965)


Como isso se evita?

Isso se evita pela “disciplina voluntariamente aceita e consagrada às causas de Deus,” pois nela “reside uma das mais poderosas forças do mundo e esta disciplina torna-se irresistível, quando usada com firmeza, mas sem rigidez, e em perfeita harmonia com a Autoridade Eclesiástica." (Manual da Legião de Maria, 1965, página 249)


Então devemos usar nas reuniões de grupos de oração um método único?

Certamente. E por isso a FSSPX estabeleceu em muitas de suas missões e priorados um método próprio que evita desordens e confusões. Consiste em principiar pelo Credo, Pai-Nosso, Três Ave-Marias, os cinco mistérios correspondentes ao dia, a Oração de São Miguel Arcanjo, A Ladainha de Nossa Senhora, ou uma ladainha conforme o tempo litúrgico, a Oração a São José e terminando com a Oração “Senhor, dai-nos Sacerdotes”.


Essas orações podem variar?

Melhor não. "(...) Não é permitida qualquer alteração - para mais ou para menos - quer se trate” dos métodos usados por santos doutores ou "santos de devoção individual. O mesmo critério deve ser adotado sempre que a legitimidade de uma alteração possa oferecer matéria de discussão. Esta regra exige sacrifício é certo, mas outros já o fizeram.” Basta olhar o Priorado de São Paulo e ver quanto o gosto pela “Salve Regina” recitada nas orações particulares ocupa ainda lugar especial no coração dos fiéis. “É verdade que a tolerância” de métodos variáveis não seria “de per si, grave infração ao uso comum. Contém, todavia, o germe de divergência dentro do sistema” e é temerosa tal possibilidade. “Há a considerar ainda que a alma” da Igreja, sua unidade, sua catolicidade “se manifesta nas suas orações. Temos de convir que estas, pela sua exata uniformidade, devem ser símbolo da completa unidade de espírito, de coração, de regulamento e de prática (...)." (Manual da Legião de Maria, 1965, página 90)


Mais algum fruto se procede do usar um método único na oração em grupos?

Além de evitar qualquer espírito de divisão, quando sacrificamos nossa vontade para rezar conforme aos demais, podemos, sem dúvida, esperar que Nossa Senhora ame ainda mais nossa oração.


São proibidos então outros métodos de oração do Rosário em particular ou em família?

Não. Cada um pode em sua própria casa, ou em particular, usar dos diversos métodos que o “Espírito Santo inspirará àqueles e àquelas que mais fiéis se mostrarem a esta devoção”, (São Luiz Maria de Montfort, Tratado da Verdadeira Devoção, 235), quer seja aquele que se acostumou desde a infância, quer seja o método de algum santo de devoção.


É pecado deixar de rezar o terço?

Não é pecado deixar de rezar o terço, contudo, deixa-se de ganhar muitas graças, em especial as graças da recitação da Ave-Maria, como diz são Luiz de Montfort: “Não sei como isto acontece nem por que; entretanto é verdade, e não conheço melhor segredo para verificar se uma pessoa é de Deus, do que examinar se gosta ou não de rezar a Ave-Maria e o terço. Digo: gosta, pois pode acontecer que alguém esteja na impossibilidade natural ou até sobrenatural de dizê-la, mas sempre a ama e a inspira aos outros.” (Tratado da Verdadeira Devoção, 251)


A Ave Maria encerra em si alguma graça especial?

A Ave-Maria é a mais bela devoção depois do Pai-Nosso. “A salvação do mundo começou pela Ave-Maria, e a salvação de cada um em particular está ligada a esta prece; (...) foi esta prece que trouxe à terra seca e árida o fruto da vida, e (...) é esta mesma prece que deve fazer germinar em nossa alma a palavra de Deus e produzir o fruto da vida, Jesus Cristo.” (São Luiz de Montfort, Tradado da Verdadeira Devoção, 249)


As devoções à Ave-Maria e ao Terço são então penhor de salvação?

“Sempre se verificou que aqueles que trazem o sinal de condenação, como os hereges, os ímpios, os orgulhosos, e os mundanos, odeiam e desprezam a Ave-Maria e o terço. Os hereges ainda aprendem e recitam o Pai-Nosso, mas abominam a Ave-Maria e o terço. (São Luiz de Montfort, Tratado da Verdadeira Devoção, 250) Essas orações nos distinguem dos heréticos e nos marcam exteriormente como membros da Igreja Católica, fora da qual não há Salvação.


+
Compartilhe este artigo :

0 comentários:

Deixe seu comentário

Diga-nos o que voce está pensando... !

 
Support : Creating Website | Johny Template | Mas Template
Copyright © 2011. Vas Honorabile - All Rights Reserved
Template Created by Creating Website Inspired by Sportapolis Shape5.com
Proudly powered by Blogger